III Semana da Diversidade

III Semana da Diversidade

O evento da III Semana da Diversidade foi realizado na Faculdade Multivix campus de Cariacica e envolveu as turmas do curso de Pedagogia.

No dia 06 de novembro, na Faculdade Multivix, em Cariacica, foi realizada a III Semana da Diversidade Cultural. Os alunos do curso de Pedagogia apresentaram trabalhos desenvolvidos a partir de um projeto de leitura. A turma do 3º/4º período fez a leitura do livro “Sejamos Todos Feministas”, De Chimamanda Ngozi Adichie. O livro aborda como trabalhar gênero é importante em qualquer canto do mundo. É importante que se comece a planejar e a sonhar um mundo diferente. Um mundo mais justo. As normas sociais nos limitam de acordo com nosso gênero. Somos educados de jeito diferente e com regras diferentes. Nos ensinam a forma certa de nos comportarmos e até mesmo de pensarmos. Nossos sonhos, objetivos de vida e até onde chegaremos no mundo também são definidos pelo gênero que temos quando nascemos. Isso é estúpido! O problema de gênero é prescrever como devemos ser, em vez de reconhecer como somos. Seríamos bem mais felizes, mais livres para ser quem realmente somos, se não tivéssemos o peso das expectativas do gênero. A partir da leitura do livro, a turma realizou apresentações culturais: teatro, stand up, poesia, slam e monólogo. O evento foi realizado com a intenção de socializar os conhecimentos produzidos a partir da leitura e das temáticas tratadas, dentre elas: igualdade de gênero, feminismo e o lugar da mulher na sociedade.

Para finalizar o trabalho da turma do 3º/4º período do Curso de Pedagogia a aluna “Isabella Montemor Ferreira” declamou uma bela poesia de própria autoria:

 

Ser Feminista, porque não!?

Não é preciso ter bigodes para exercer qualquer função;

Sou mulher, e de trabalho algum faço acepção.

 

Me empodero na vida.

Da minha roupa, do meu cabelo pinto de preto,

De verde e vermelho.

Viro maceira, coloco porta, subo no salto,

Danço e arraso e nem preciso de palco.

 

Sou engenheira, arquiteta, motorista e maquinista.

Sou doutora, professora, sou até artista.

 

E não há quem me diga que só posso ser do lar.

Sou mãe, sou tia, sou madrinha.

E se bestar viro até Rainha!

 

Sinto a dor do parto;

E choro entre sorrisos.

Sou forte, sou fraca;

Sou sexo forte, pois de frágil não tenho nada!

 

Tanto cozinho, quanto lavo.

Estudo, cresço e venço.

Luto por mim e se precisar, luto até contra o tempo.

 

Sou feminista, sou tudo que posso ser;

E não venha ninguém me dizer, como agir, como viver.

Pois mulher é cabra forte, e forte por demais.

Posts relacionados