Menu
  • Blog
  • Faculdade de Medicina: a arte de curar pessoas

Faculdade de Medicina: a arte de curar pessoas

Faculdade de Medicina: a arte de curar pessoas

A medicina sempre foi vista com bons olhos, afinal, ela é a ciência responsável pela prevenção, tratamento e cura de enfermidades. Cada avanço na área da medicina impacta a todos por trazer descobertas de novas doenças e a cura de tantos males. A faculdade de Medicina , socialmente, sempre foi respeitada pela sociedade como um todo. Enfermidades que no passado levavam a morte, hoje são facilmente tratadas e prevenidas. Em um breve repasso da história da medicina, algumas descobertas marcam o antes e depois na cura de doenças, mesmo antes da criação de centros universitários de medicina, entre eles estão:

A anatomia

Pode parecer algo simples, mas o detalhamento da anatomia humana marcou um diferencial no tratamento de enfermidades. O que antigamente era levado como indagações e envolvia a imaginação foi esclarecido no livro De Humani Corporis Fabrica, Libri Septem (1543) de Andreas Vesalius.

Em uma época onde mexer com cadáveres era considerado heresia, Andreas invadiu cemitérios e dissecou cadáveres. Na faculdade de Medicina como em todas as áreas de saúde, seu livro ilustrado é considerado uma obra prima.

Bactérias

As temidas bactérias que levaram milhões a morte antes de sua descoberta foram vistas pela primeira vez por Antony van Leeuwenhoek em 1675, um vendedor que gostava de fabricar microscópios nas horas vagas. Com sua descoberta foi encontrado um novo mundo de possibilidades e de curas de muitas doenças, através de seus microscópios.

Anestesia

A anestesia mudou a sala de cirurgia. Antes do século 19, os pacientes desmaiavam de dor durante os procedimentos cirúrgicos. Graças a inteligência de Crawford Long (1842), que utilizou o éter para deixar um paciente inconsciente e poder realizar a extração de um tumor, foi possível comprovar o poder do anestésico. Assim começaram as mudanças em procedimentos mais delicados, salvando vidas.

Genética

Em 1860, através da observação de ervilhas verdes e amarelas, Gregor Mendel descobriu que diferentes características das duas ervilhas foram herdadas pelas novas plantas, descobrindo as leis básicas da genética. Graças a seu descobrimento é possível identificar doenças hereditárias, trabalhando na prevenção de enfermidades.

Penicilina

A penicilina é conhecida por ser o primeiro antibiótico a combater doenças provenientes de bactérias, como sífilis, meningite, pneumonia, dentre outras. Quem a descobriu, Alexander Fleming (1928) ganhou vários prêmios, entre eles, o Nobel de Medicina, pois sua descoberta salvou a vida de milhares durante a Segunda Guerra Mundial.

Transplante de órgãos

O primeiro transplante de órgãos foi realizado em gêmeos, pelo doutor Joseph E. Murray, em 1954. Murray transplantou um dos rins de um irmão a outro, pois acreditava que não ocorreria rejeição por ser corpos idênticos. Graças ao seu trabalho e aos avanços da medicina hoje é possível realizar o transplante de órgãos independente do parentesco.

Por ser uma área tão relevante e importante para a sociedade como um todo, é indispensável que o médico tenha uma excelente formação. Por isso, ao escolher um curso de medicina, o estudante deve levar sempre em conta a estrutura e qualificação dos professores da universidade escolhida.

Para conhecer mais sobre a história dos avanços na medicina, você pode  acessar aqui para ver uma linha do tempo sobre momentos importantes na profissão.

Ficou curioso e quer saber tudo sobre medicina? Descubra mais sobre a carreira e baixe nosso e-book de curso!

Inscreva-se no vestibular Multivix.